Preço médio da gasolina nos postos fica estável apesar de reajuste, diz ANP

Foto: Buda Mendes/Getty Images

A pesquisa semanal de preços dos combustíveis da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) ainda não detectou repasses do reajuste de 7,4% promovido pela Petrobras em suas refinarias na terça-feira (24), o primeiro aumento após a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo a pesquisa da agência, o produto foi vendido pelo valor médio de R$ 4,97 por litro na semana, praticamente o mesmo patamar verificado na semana anterior, de R$ 4,98.

A pesquisa, porém, concentra a busca em postos nos primeiros dias da semana, o que pode explicar a percepção de que não houve repasse.

O aumento foi dado antes da nomeação do indicado de Lula à presidência da Petrobras, Jean Paul Prates, que ocorreu na quinta (26), e foi criticado por sindicatos como uma medida para agradar acionistas antes da mudança de gestão.

Prates já anunciou que pretende rever a política de preços da companhia, sob o argumento de que a maior parte dos combustíveis consumidos no país é produzido em refinarias brasileiras. Nesta sexta (27), foi cobrado por sindicatos a agilizar a mudança.

Valor

Postado em 28 de janeiro de 2023