BBB 23 bate recorde de patrocinadores; veja valores e quem serão os anunciantes

Foto: João Cotta/Globo

A 23.ª edição do Big Brother Brasil começa em 16 de janeiro, mas o número de empresas interessadas em se associar ao principal reality show da televisão brasileira já é o maior da história do programa, apesar do valor mais caro para anunciar. No total, 30 anunciantes já garantiram algum tipo de participação.

De todos os anunciantes, 12 estão nas três principais cotas. Americanas, Amstel, McDonald’s, Pantene, QuintoAndar e Seara renovaram a parceria. As marcas Ademicon, Downy, Hypera Pharma e TikTok, que estiveram presentes em cotas e ações de conteúdo na última temporada, optaram por investir no patrocínio do reality em 2023; já Pague Menos e Stone são as estreantes.

A principal cota, chamada de “Big”, exige que cada anunciante desembolse R$ 105.157.383,28. O valor é 14% mais caro do que na edição anterior. Estão na categoria: Americanas, Seara e Stone.

Amstel, Downy, Pantene e TikTok se enquadram na cota “Camarote”, comercializada por R$ 80.284.155,53, um aumento de 15% ante à edição passada.

Na cota “Brother”, mais barata, estão Ademicon, Hypera Pharma, McDonald’s, Pague Menos e QuintoAndar. Essas empresas pagarão R$ 15.673.439,94 pela aparição nas ativações com os participantes, um aumento de 32% em relação ao ano anterior.

O programa também já garantiu a presença de outros anunciantes, por meio de cotas de participação e ações extras. São eles: Ajinomoto, Braskem, Carrefour, Chevrolet, Chilli Beans, Claro, Coca-Cola, Doriana, Dove, Estácio, Nestlé, Óticas Carol, Piraquê, Rexona, Riachuelo, Samsung, Spotify e Zé Delivery.

Para a Globo, os bons resultados comerciais se devem à qualidade do programa. “A cada ano, o BBB se atualiza em sintonia com o público, ao intenso trabalho de escuta do mercado e ao olhar atento às preferências da audiência”, disse a emissora, em nota.

O ganhador do BBB 23 também receberá uma quantia maior do que as últimas edições. O apresentador Tadeu Schmidt revelou que a quantia faturada pelo vencedor mudará ao longo da temporada. A premiação de R$ 1,5 milhão já era a mesma havia 12 anos.

“Quanto? Nem que eu quisesse eu poderia responder, só dá para responder depois. Porque, conforme o jogo anda, o prêmio aumenta junto”, disse o apreentador em vídeo nas redes sociais.

Em 2022, com o auxílio da Calculadora do Cidadão, do Banco Central, e de fontes do mercado financeiro, o Estadão calculou que o valor faturado por Arthur Aguiar, campeão daquele ano, chegou a ser menor do que o recebido por Kleber Bambam, primeiro vencedor do reality.

Estadão Conteúdo

Postado em 6 de janeiro de 2023